quinta-feira, junho 28

AGORA EU TENHO UM EMPREGO!

Charles Chaplin - No filme Tempos Modernos 



Arrumei um emprego, finalmente depois de um longo tempo pegando mosquitos no saco, consegui um emprego, a correria agora dita meu prazer e sinto o cansaço no fim do dia expulsando por definitivo a insônia que assolava as minhas noites inquietas de corpo quente, de cama quente, de cabeça quente com o que fazer na próxima manhã.

Agora eu tenho um emprego, para que minhas dívidas sejam honradas, que possa passar pela rua de peito aberto, tendo aquele prazer efêmero de pegar um ônibus lotado com uma camisa social molhada de suor rindo de um bêbado no banco de trás, fedido, falando merda olhando pras pernas de uma ninfeta.

Agora eu tenho um emprego, pra minha vizinha parar de falar da minha vida, voltando até me cumprimentar com um “bom dia”, excluindo aquele olhar de reprovação por eu estar agora bem produzido, dando aquele ar de batalha, de partir pra labuta.



Agora eu tenho um emprego, para meus familiares falar, “ele tá trabalhando”, dando explicação e resolvendo problemáticas de ter um parente formado encostado por não ter uma ocupação.

Agora eu tenho um emprego, para dar satisfação à sociedade e movimentar a renda de um estado pertencente a um país laico, que caminham como formigas fazendo a mesma coisa todos os dias e tentando a cada momento sentir prazer com o que se faz.

Agora eu tenho um emprego, obedecendo à profecia do Guru que diz que é sempre a mesma jogada: Um emprego e uma namorada, tudo isso quando você crescer...

Agora tenho um emprego, para as minhas noites não serem mais de carraspanas, obrigações e concentrações farão parte de um exercício diário onde tudo que faço tem que ser agendado de forma minuciosa para que não aflija o andar dos meus passos.

Agora eu tenho um emprego, pra apagar a fumaça do cigarro, não pulverizando nicotina aos que cercam dando-me a certeza de quem fuma é visto como criminoso. Pior que deferir um tiro na cabeça da velhinha.

Agora eu tenho um emprego, atrapalhando minhas inspirações na escrita, o cansaço interferindo nas ideias, diminuindo um suposto dom.

Não estagnarei. Que vença a crônica!

Um comentário:

. disse...

EMPREGO X ARTE

Sei que tu vai jogar a toalha nunquinha.

diego