sábado, maio 5

The White Album (1968)


O que é o Rock ‘n’ roll?
O olhar do Paul?
Ou os óculos do John?


Humberto Gessinger fez essa pergunta em um trecho da música do álbum O papa é Pop dos Engenheiros do Hawai. Dos doze anos de existência dos Beatles, sem sombra de dúvidas dois momentos são cruciais para toda a história da música pop. O ano de 1967 com o lançamento de Sargent Peppers e o ano de 1968 com o lançamento do The White Album (O Álbum Branco). Tudo bem que eles haviam revolucionado com o Sargent Peppers toda a parte gráfica, a junção dos ritmos tradicionais num formato pop, e a primeira vez que uma banda usava o marketing na divulgação de um disco. Sem dúvidas foi um divisor de águas. Mais um ano depois diversas modificações mudaram o universo dos quatro rapazes de Liverpool. A morte prematura de Brian Epstein, o inicio de um selo próprio a Apple e a entrada de uma figura central na história deles chamada Yoko Ono.



Todos esses fatores influenciavam sim no ano de 1968 os Beatles. Muito das músicas foram escritas durante a viagem que eles fizeram com o Maharishi, nos momentos de folgas das meditações. Na volta a Londres começaram as gravações, The White Album foi gravado em meio a tensões entre os músicos, pela primeira vez George Martin o lendário produtor, se ausentou em um fim de semana deixando-os sozinhos com engenheiros de som e produtores assistentes, reflexo das insistentes pontuações de Lennon e McCartney sobre os arranjos das músicas. Ainda durante as gravações Ringo Star chegou a abandonar o estúdio, prometendo só voltar quando os ânimos estivessem restabelecidos, voltando depois da insistência dos outros três, sendo recebido com flores decorando sua bateria. The White Album era de fato uma mudança radical em relação ao Sargent Peppers, o nome já apontava para isso, branco por conta de todo o colorido que representou o disco anterior, devido à onda de grandes discos psicodélicos lançados em 1967. The White Album foi o único disco duplo dos Beatles e também o primeiro a ser gravado em oito canais.


Sargent Peppers (Paul McCartney), The White Album (John Lennon).


A banda The Beatles representava basicamente o Alter ego de John e Paul. Podemos imaginar da seguinte forma Paul era o multi-instrumentista, a harmonia musical em pessoa, e John era a atitude, o cara que havia estudado arte em Liverpool, o escritor, o primeiro grande letrista de grandes bandas de Rock ‘n’ roll. Desta forma está delineada a grande diferença entre os dois álbuns, no The White Album John através de todas aquelas canções escreveu a cartilha que ainda hoje é lida com paciência por todo moleque esperto que sonhe em montar uma banda de rock de sucesso. Nesse álbum ele dá amostras do que será sua carreira solo no decorrer dos anos setenta, a maturidade das letras, o artista começando a se tornar um homem do seu tempo, sendo escrevendo sobre o seu cotidiano ou já iniciando sua música como concepção ativista dos direitos humanistas universais. Se o disco anterior é harmônico e lúdico, The White Album é forte, objetivo e moderno mostrando para os Beatlemaniacos o que seria do Rock no futuro.


2 comentários:

. disse...

Realmente muitas musicas estão no nosso inconciente já.... Vejo A banda The libertines como sua principal precursora e o Pete dohety e canção While my quitar gently weeps me faz arrepiar os pelos e como escutava na adolescencia.

-diego

Anônimo disse...

Realmente de certa forma esse álbum abriu as portas, pra toda essa turma. ta tudo lá é só escutar influenciou do Heavy Metal ao Tecno.

Natan Castro.