quinta-feira, outubro 1

Joana e os Cupins

Joana acordou sobressaltada, no meio da noite, após um sonho ruim. Ela sonhou com cupins roendo os móveis, as portas dos quartos e a cama. Levantou-se de imediato. Foi ao banheiro jogar água no rosto. Em seguida, Joana dirigiu-se para a cozinha para beber um copo d'água. Seguiu, então, para a sala onde estava seu notebook sobre uma mesa. Ligou o note e ficou esperando o sistema iniciar. Enquanto esperava, ela tentou lembrar com minúcias do sonho ruim. A última coisa que lembrava era os cupins vindo em sua direção como soldados em marcha. Olhou atenciosamente para as caixas no chão da sala bagunçada. Com bastante esforço, Joana passou o dia arrumando os objetos da casa para a mudança, que iria acontecer em breve. Joana odiava se mudar e, para seu desgosto, deveria deixar a casa pela qual se apegou bastante. Quando o sistema iniciou, acessou a internet. Depois de ponderar uma possível explicação para o sonho, ela digitou: interpretação de sonhos + cupins. Clicou num link e esperou pacientemente todos os detalhes da página abrirem. Leu com afinco alguns parágrafos de "Sonhar com Cupins". Não terminou a leitura. Baixou a tela do note com uma preocupação estampada no rosto. Ela ficou se perguntando o porquê de ter sonhado com cupins. Evidentemente, o sonho estava relacionado à mudança ou a um relacionamento amoroso desfeito recentemente, ela pensou. Depois de alguns minutos de reflexão, Joana levantou a tela do note, abriu o youtube para escutar "Geni e o Zepelim" de Chico Buarque. Enquanto soava Joga pedra na Geni! Joga bosta na Geni! Ela é feita pra apanhar! Ela é boa de cuspir!, tentou sem sucesso esquecer o sonho ruim, que lhe atormentava e ameaçava lhe tirar o sono por completo. Ela pensou na escola em que trabalhava. Teria que acordar cedo para dar aula. Baixou novamente a tela do note, encaminhando-se para pegar um livro. Pegou "Sagarana" no meio aos livros espalhados no chão. Imaginou que se talvez lesse, o sono retornaria. Entretanto, de nada adiantou ler, já que o sonho vinha-lhe com assombro à mente, espantando o sono esperado. Levantou-se impaciente e sentou-se no sofá-cama. Após quase uma hora a olhar para o teto, o sono retornou. Joana seguiu embriagada de sono para o quarto, exclamando nas entranhas da noite: malditos cupins.    

Nenhum comentário: