terça-feira, fevereiro 5

Cinema & Jazz & Rock 'n' Roll



                              Esta noite tudo vai acabar em jazz
                                                       Pressinto algo na esquina
                Personagens tipo Jarmusch
                                               Um conto inacabado
                                 Recortes de jornal
                                                           Pequenos delitos
                                         A lua em sonhos melancólicos
esparramando sua luz postiça
                                               sobre as ruas mal dormidas
                     
                          Sou um Dom Quixote notívago
       Vou me perder em lembranças
                                                             andando pelo apartamento vazio
                          como Rimbaud na África
                                                              como Noel Rosa na Lapa
                                                                                       à procura da dama do cabaré
                                    Sei lá! Vou tomar um café quente
                  e escutar os Mutantes ou Secos & Molhados
                                               antes das lágrimas noturnas chegarem
           
                Porra! Agora penso em McGuevara o CheDonalds
                                    Essa canção hermana ficou impregnada nos meus ouvidos
                          Na verdade minha angústia não tem nome
                                                        e a vida é uma fábula cotidiana
                                 (Vejo João Antônio e Bukowski
bebendo juntos em um bar qualquer
                                                                ao som do trompete de Miles Davis
                 & vejo Jim Morrison em sua dança xamânica
                                                                    & Ian Curtis em sua dança epilética)
                                        É tudo ilusão!!!
                         Até penso em fazer um road movie
                                                     pela Estrada de Ribamar
         
            Éguas! Que saudade! O Paço insurgente mora no meu coração
                                     Lembro das tardes sorrateiras quando eu lia Apollinaire
                  e imaginava Ginsberg declamando Howl
Tantos filmes em preto & branco
                                                eu assistia horas a fio de navalha
                    Agora apenas sou sincero através do espelho
                                                (Bergmann não sai da minha cabeça-dinossauro)
                                                    Ademais os livros me fazem companhia
                                    Nau de Urano está à minha espera
            Contos de Chandler & Hammett & Carver me convidam
                                Além de Raduan Nassar & Juan Rulfo na estante carcomida
                                                                            Para não falar de Nelson Rodrigues
                                      ... e meus pensamentos anarquistas se dilaceram
                                                           ao murmurar da meia-noite
                    
                        Vejo que a aurora de Murnau está distante
                                                                                    distante de qualquer contato
                                                       Tenho uma estranha sensação:
                               Uma noite sonâmbula se encaminha
                                                                        vem em passos silentes e singelos
                                            junto com junkies & prostitutas & marginais
            Uhhhhh um grito atravessa a cidade
                                                        Eu sabia que algo iria acontecer
                         O sax-sex de Charlie Parker
                                                           rasgou o véu da noite

Nenhum comentário: